5 dicas para manteres o teu computador seguro

Segurança do computador

Não precisamos de olhar para programas de televisão como Black Mirror para nos apercebermos dos perigos de estarmos expostos online. De esquemas em pirâmide, a burlas, carreiras políticas destruídas ou simples invasões de privacidade, os riscos e as consequências decorrentes do acesso fácil à Internet são cada vez mais evidentes e preocupantes. 

Numa semana, quantas horas passas no mundo digital? Tantas quanto no “mundo real” ou até mais? Sem nos apercebermos, estamos cada vez mais dependentes da Internet e dos benefícios que esta nos traz. Por isso, devemos estar conscientes e alerta dos perigos que podemos encontrar no espaço online. Neste artigo exploramos algumas dicas simples que todos podemos adotar para termos a certeza de que evitamos futuros problemas online ou mesmo offline

Usa passwords fortes

Nada como começarmos por algo simples e básico que todos podemos implementar facilmente. Termos a mesma password para todas as nossas contas é como usarmos a mesma chave para todas as divisões da nossa casa, dos nossos carros  e do nosso cofre. Receita para o desastre não é? 

O ideal é a tornarmos comprida e usarmos uma variedade de letras, números e caracteres especiais que a tornem mais difícil de replicar. Para além disso, usar diferentes passwords para diferentes contas é um passo muito importante para as mantermos seguras. 

Sempre que possível adota a autenticação de dois passos e toma especial atenção à palavra passe do teu email, já que é um lugar onde consegues agregar diferentes contas. Para além disso, mudares de password regularmente (de 4 em 4 meses) é outro passo importante para manteres o teu email seguro.  

Cuidado com os emails que recebes

Falando do email, este deve sempre ser mantido seguro, já que é um local onde facilmente hackers conseguem aceder e recolher informações pessoais. Sempre que recebes um email que te parece estranho, procura analisar o endereço do remetente para perceberes se é legítimo e nunca, mas nunca abras anexos de emails que não conheces. Para além dos anexos, muito conteúdo considerado malicioso encontra-se escondido em mensagens que usam HTML, por isso procura sempre ler os emails em texto simples. 

Protege a tua informação pessoal

Ter uma presença online ativa, por si só, não é um problema. O problema surge quando revelamos um pouco mais de nós do que seria necessário. Na era em que vivemos, os nossos dados pessoais são cada vez mais preciosos e por isso devemos guardá-los bem. Não nos passa pela cabeça andarmos pela rua a dizer a nossa morada a perfeitos estranhos, então porque o continuamos a fazer online perante milhões de pessoas?

Se um cliente ou um potencial empregador tiver interesse em nós, apenas têm de saber o nosso background profissional e como nos contactar. Só isso. Neste sentido, ter cuidado com as localizações que divulgamos, as rotinas que temos e os lugares que frequentamos regularmente é de extrema importância quer para a nossa segurança online quer no “mundo real”. 

senhora a fazer compras de moda num site online com o cartão de credito na mão direita

Mantém as configurações de privacidade ativas 

Como sabemos, as empresas e em particular os marketeers adoram saber o que fazemos online e por isso vários sites têm formas de recolher este nosso histórico que, no fim das contas, nos acaba por caracterizar enquanto pessoas. Contudo, também os hackers conseguem aprender muito sobre nós através destas ferramentas. 

Para mantermos as nossas preferências privadas, diversos sites e plataformas, como o próprio Facebook, disponibilizam configurações que protegem a nossa privacidade online, apenas temos de procurar por elas. Por vezes podem estar propositadamente mais escondidas, pois, como sabemos,  as empresas têm grande interesse em recolher a nossa informação pessoal para fins comerciais. 

Apenas faz compras em sites seguros 

Se as compras online já eram amplamente utilizadas durante a década de 2010, após a pandemia muitos negócios floresceram no espaço virtual e muitos consumidores viraram-se para esta forma de consumir. 

Quando fazemos uma compra online, temos de providenciar um cartão ou informação bancária. É nesta transação que muitos dos perigos se encontram escondidos, já que esta é das informações que os cibercriminosos mais procuram obter. Neste sentido, é fundamental que tenhamos muito cuidado com a legitimidade dos sites onde procuramos fazer compras. 

Devemos sempre procurar por sites seguros, com selo de confiança e que cujo URL inicie por https e não somente http, já que o “s” significa “seguro”. Os sites inseguros normalmente apresentam um símbolo com um sinal de perigo vermelho.  


O nosso papel é ser o elo que liga os melhores talentos aos melhores projetos. Procura um novo desafio? Então, conheça as nossas oportunidades aqui!